50O Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT11), representado pelo magistrado Mauro Augusto Ponce de Leão Braga, participou da solenidade de encerramento da Colônia de Férias: De férias sim, na rua não!, realizada pela associação O Pequeno Nazareno (OPN) durante o mês de janeiro.

Pelo terceiro ano consecutivo, o TRT11 apóia a realização da Colônia de Férias realizada pelo OPN, este ano direcionada a crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil nas feiras e mercados de Manaus. Por meio do Comitê Gestor Regional de Combate ao Trabalho Infantil, o Tribunal destinou, ao final de 2018, um recurso financeiro para o projeto Colônia de Férias: De férias sim, na rua não. Os gestores regionais do Comitê para o biênio 2016/2018 foram o desembargador Jorge Alvaro Marques Guedes, e o juiz do trabalho Mauro Augusto Ponce de Leão Braga.

A solenidade de encerramento da Colônia de Férias aconteceu na última sexta-feira (08/02), no Centro de Convivência da Família Padre Pedro Vignola, localizado na Cidade Nova. Na ocasião, foi apresentado o resultado de meses de trabalho da equipe de abordagem social “Criança não é de rua”, que mapeou todas as feiras de Manaus, totalizando 38 feiras, e fazendo um trabalho de abordagem com as crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil nas feiras e vendas ambulantes ao redor das feiras. Como 70% destas feiras estão localizadas na Zona Leste, o local escolhido para a realização da Colônia de Férias foi uma área localizada próximo a Bola do Produtor, na Zona Leste de Manaus.

Ao todo, 74 crianças e adolescentes entre 6 e 16 anos participaram da Colônia de Férias: De férias sim, na rua não, que contou com atividades de dança urbana, acrobacias, teatro, esporte (futebol, exercícios físicos) para os pequenos, além de desenho, jogos diversos, coreografias, coral, entre outros.

Depoimentos emocionados

Durante o encerramento da Colônia de Férias, as crianças e adolescentes fizeram várias apresentações de dança, teatro e música. Alguns deles também falaram o que acharam do projeto, com depoimentos que emocionaram os presentes.

E. Silva, de 16 anos, participou da Colônia de Férias: De férias sim, na rua não e agora acredita que pode ter um futuro melhor. “Tive o prazer de conhecer pessoas maravilhosas dentro deste projeto, pessoas que fizeram muita diferença na minha vida. Há uns meses quando eu fui abordado na feira, não conhecia nada do projeto e não imaginava o bem que ele podia fazer por mim e pela minha família. Eu já tinha sido abordado muitas outras vezes por outras pessoas, e não acreditei quando eles falaram que, fazendo parte deste projeto, eu iria aprender muita coisa, que poderia conseguir um emprego e até me tornar uma pessoa grande. Hoje eu sei que tenho talento e sei que isso tudo é possível”, declarou.

O juiz do trabalho Mauro Braga disse, durante a solenidade, que poucas coisas na vida o fizeram tão feliz como participar de um projeto que resgata crianças e adolescentes das ruas. “Queria dizer pra vocês acreditarem que somos capazes de realizar tudo aquilo que nós nos propusermos a realizar. Pra isso nós precisamos em primeiro lugar acreditar em Deus, na força e na esperança que Ele coloca dentro do nosso coração”. Ele encerrou suas palavras citando uma parte da música Epitáfio, da banda Titãs: “Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração. Eu desejo que o coração de vocês tenha muito mais alegria que dor. Fiquei muito feliz e emocionado por ter participado deste projeto. Um grande beijo em cada um de vocês”.

Projeto Gente Grande

Ao final da Colônia de Férias: De férias sim, na rua não, os adolescentes são convidados a participar do Projeto Gente Grande (PGG), também coordenado pela organização OPN em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e que capacita jovens para sua primeira oportunidade no mercado de trabalho, através de ciclos de desenvolvimento humano de natureza pedagógica, pessoal, tecnológica e profissional.

O gestor da OPN, Tommaso Lombardi, afirmou que será aberta uma nova unidade do Projeto Gente Grande, agora na Zona Leste de Manaus. “Fizemos para eles esta colônia de ferias, financiada em parte pelo TRT, e abrimos uma nova unidade do PGG na Zona Leste, com 50 alunos provenientes deste público e seus familiares. O Projeto tem duração de oito meses e prepara os jovens para concorrer nas vagas de jovens aprendizes. Ao final do Projeto eles têm a oportunidade de passar do trabalho informal, com todos os riscos que a rua traz, para uma situação de trabalho formal, com a garantia de todos os direitos. Para participar do Projeto é obrigatório que eles continuem estudando, de forma a garantir uma prospectiva de futuro digno para sua vida”, disse.

Acesse AQUI o diagnostico de abordagem social apresentado pelo OPN.

51

52

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ASCOM/TRT11
Texto: Martha Arruda, com informações do OPN
Fotos: Dr. Mauro Braga e OPN
Esta matéria tem caráter informativo, sem cunho oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Tel. (92) 3621-7238/7239