53A presidente do TRT da 11ª Região, desembargadora Maria das Graças Alecrim Marinho, alterou, por meio da Portaria 1065/2015, a composição do Comitê Gestor Regional do Processo Judicial Eletrônico da Justiça do Trabalho (PJe-JT).

O grupo tem como responsabilidade e acompanhar o funcionamento do sistema no Regional e propor ao Comitê Gestor Nacional alterações visando ao aprimoramento da ferramenta; observando as normas expedidas pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho e pelo Comitê Gestor Nacional.

O comitê será presidido pela desembargadora presidente Maria das Graças Alecrim Marinho, e conta com oito membros, entre magistrados e servidores do TRT11. O Comitê integra, ainda, representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do Ministério Público do Trabalho da 11ª Região.

A comissão está assim composta:

Presidente

  • Desembargadora Maria das Graças Alecrim Marinho

Membros

  • Márcia Nunes da Silva Bessa, juíza titular da 4ª VT de Manaus;
  • Maria de Lourdes Guedes Montenegro, juíza titular da 16ª VT de Manaus;
  • Ricardo Marques de Lima, secretário-geral da Presidência, representando o 2°grau da jurisdição;
  • Valdecimar Brito Maciel, diretora de secretaria, representante do 1° grau de jurisdição;
  • Michel Cunha de Souza, assistente-chefe da Seção de Serviços Essenciais, representante da área de tecnologia da informação;
  • Cláudio José Limongi Batista, diretor da Assessoria de Comunicação Social;
  • Anelson Brito de Souza, advogado indicado pela ordem dos Advogados do Brasil - seccional do Amazonas;
  • Alzira Melo Costa, procurador do trabalho, indicada pela Procuradoria Regional do Trabalho da 11ª Região.

51Licitação sustentável, consumo consciente, eficiência energética e uso racional da água nos órgãos públicos são alguns dos temas que estão sendo debatidos na segunda edição do Seminário de Planejamento Estratégico Sustentável do Poder Judiciário, que está acontecendo em Brasília, no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O evento começou ontem, 28 de maio, e segue até esta sexta-feira. Estão representando o TRT da 11ª Região no encontro os servidores Denise Herzog e Vicente Fernandes Tino, da Seção de Serviço Social e Gestão Socioambiental.

Já palestraram Ketlin Feitosa de Albuquerque Lima Scartezini, chefe da Assessoria de Gestão Socioambiental do STJ; Ana Carla Leite de Almeida, do Departamento de Cidadania e Responsabilidade Socioambiental do Ministério do Meio Ambiente (MMA); Cláudia Amorim, coordenadora do Laboratório de Controle Ambiental da Universidade de Brasília (UnB), e o arquiteto Mário Viggiano, do Senado Federal.

Problemática, estratégias e resultados práticos deram a tônica das apresentações. “Infelizmente, as pessoas ainda ignoram o conteúdo da palavra sustentabilidade. Não é só poupar árvore”, disse Ketlin Feitosa.

Compra sustentável
Ana Carla Leite, do MMA, falou dos impactos de uma licitação sustentável dentro e fora do órgão. Segundo ela, o governo despende anualmente mais de R$ 600 bilhões com aquisição de bens e contratações, montante que mobiliza vários setores da economia, da indústria ao varejo.

“Quem são os fornecedores? Como eles trabalham? Onde está a responsabilidade sustentável no fornecimento, na cadeia do produto? Você está comprando esse produto, mas você sabe por que ele é sustentável?”, questionou ela.

Os arquitetos Cláudia Amorim e Mário Viggiano apresentaram alternativas aos órgãos públicos para um menor impacto ambiental e maior ganho social na questão energética e no uso racional da água.

Os palestrantes falaram sobre aproveitamento de luz natural, projetos de climatização, etiquetagem de eficiência energética dos edifícios, aproveitamento da água das chuvas. Ao final das apresentações, os participantes puderam fazer perguntas técnicas sobre o que foi apresentado.

Resultados práticos
Ketlin Feitosa, da Assessoria de Gestão Socioambiental do STJ, apresentou os resultados práticos dessa mudança de paradigma dentro do tribunal. Ela citou o fim dos estoques paralelos, para os quais as seções pediam material além do que precisavam, e deu como exemplo de compra desnecessária um pedido para aquisição de 22 carrinhos de transporte de processos em plena era do processo eletrônico.
Também citou campanhas internas, como a do copo descartável, para incentivar os servidores a trazer seus próprios copos, e a distribuição de recipientes para descarte de papéis nas mesas dos servidores.

“Em apenas dois anos de aplicação desse consumo consciente, economizamos para o contribuinte mais de R$ 6 milhões”, afirmou.

Ketlin concluiu sua apresentação reforçando a ideia de que o sucesso do trabalho depende de uma aplicação sistêmica dentro do órgão, o que deve começar com o engajamento da cúpula das instituições.

“A unidade ou núcleo socioambiental tem de estar ligado à alta administração. Não vamos conseguir mudar de baixo para cima. Todas essas ações têm de estar descritas no planejamento estratégico da instituição, porque vai dar responsabilidade para todo mundo que está ali dentro”, finalizou.

Fonte: Com informações do STJ

A Escola Judicial do TRT da 10ª Região oferece cinco vagas para magistrados de todo o Brasil para participar da Oficina de Preparação para Aposentadoria, que ocorrerá no dia 19 de junho do corrente ano, no horário das 14h às 19h, em Brasília.

A atividade tem por objetivo favorecer o processo de planejamento para a aposentadoria, promovendo reflexões e discussões sobre o tema, sensibilizando os participantes para a elaboração do esboço de um projeto de vida para a aposentadoria.

A facilitadora da Oficina será a Professora Doutora em Psicologia Social e do Trabalho Sheila Giardini Murta, notória especialista no tema e capacitou os servidores que conduzem Oficinas do Programa Saber Viver, no ano de 2012. As oficinas breves buscam despertar a consciência, os desejos, os planos de ação e o engajamento em ações de autocuidado, a partir das indagações sobre a aposentadoria, sobre as atividades relacionadas à autonomia (saúde física, emocional e financeira), aos laços afetivos (convivência familiar, por exemplo) e à ocupação (hobbies, trabalhos voluntários, segunda profissão, etc). As oficinas utilizam-se da ferramenta Modelo Transteórico de Mudança, desenvolvido por Prochaska & DiClemente, e com base na metodologia adotada pela Universidade de Brasília (UnB).

49

Os desembargadores Lairto José Veloso, Vice-Presidente, e Ormy da Conceição Dias Bentes, Corregedora Regional, encontram-se em Brasília (DF) para participar da 4ª Reunião do Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho - Coleprecor, que teve início ontem, 27, na sede do Tribunal Superior do Trabalho.

A reunião foi aberta com o pronunciamento do Ministro Barros Levenhagen, Presidente do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Veja Galeria de Imagens.

50A presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, desembargadora Maria das Graças Alecrim Marinho, prestigiou, na manhã desta quinta-feira, 28 de maio, a entrega do Título de Cidadão do Amazonas ao comandante-militar da Amazônia, general do Exército Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira. O título foi entregue em sessão especial, no plenário Ruy Barbosa, na Assembleia Legislativa do Amazonas.


O general é natural do Rio de Janeiro, onde nasceu em 1955. Veio para Manaus em 2011, transferido pelo Exército, mas já havia morado na cidade quando criança. Respondia pelo 12ª Região Militar até o ano passado, quando assumiu o CMA. Seu currículo de ações nas Forças Armadas é extenso, e envolve atuação nas Nações Unidas, como membro do Grupo de Trabalho do Instituto de Desarmamento e Pesquisa das Nações Unidas.


Confira a galeria de imagens.

48O acordo judicial firmado perante a 1ª Vara do Trabalho de Boa Vista, entre o Ministério Público do Trabalho em Roraima (MPT 11ª Região), a Missão Evangélica Caiuá e a União Federal, pôs fim à ação civil pública a qual gerou amplo debate a respeito da implementação de condições de trabalho adequadas para os profissionais da área de saúde que prestam serviços em comunidades indígenas em Roraima e no Amazonas, sem prejuízo à cultura e aos costumes dos povos indígenas que habitam os locais.

Ficou determinado que, a partir de agora, entre os requisitos para contratação de trabalhadores pela União Federal para atuarem no subsistema de atenção à saúde indígena está o de oferecer um curso de no mínimo 30 horas/aula de conhecimento de antropologia, do próprio subsistema de atenção e de conhecimento das etnias para as quais irão prestar serviços, como usos, costumes, línguas, prática de saúde tradicional e medicina tradicional indígena, devendo ser cientificado aos trabalhadores as condições que irão encontrar.

Além disso, também ficou pactuado que será pago um adicional de insalubridade, no grau médio, aos trabalhadores, correspondente a 20% do valor do salário; as escalas de trabalho serão de 30 dias trabalhados por 15 dias de descanso e de 20 dias trabalhados por 10 dias de descanso. Também será apresentado um estudo de viabilidade para execução de uma terceira escala no ano de 2016, de 15 dias trabalhados por 15 dias de descanso, sem prejuízo das outras duas já estabelecidas.
A União Federal também está obrigada, no prazo de três meses, a implementar condições de saúde, higiene e segurança, nos pólos de Canta Galo (Distrito Leste) e Alto Catrimani (Distrito Yanomami). Esses pólos servirão de modelo e, a partir daí, todas as unidades básicas de saúde deverão ser equipadas da mesma forma.

Após o prazo de três meses, será realizada inspeção, por meio da Justiça do Trabalho, junto com representantes do MPT e da União Federal, a fim de atestar o cumprimento das obrigações.

Relembre o caso
No ano de 2012, o Ministério Público do Trabalho no Amazonas ingressou com uma ação civil pública (ACP) na Justiça do Trabalho contra a Organização Não Governamental (ONG) Missão Evangélica Caiuá, entidade que promove a contratação dos profissionais de saúde para atuarem nas áreas indígenas, e contra a União, que por meio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), é a concedente do convênio com a ONG e responsável pela saúde e proteção dos índios.

O objetivo da ACP era de assegurar melhores condições de trabalho para os profissionais da área de saúde que prestam serviços nas comunidades indígenas de Roraima.

Em agosto de 2014, uma audiência pública foi realizada em Boa Vista/RR, onde debateu-se a questão de como conceder melhores condições de trabalho aos agentes de saúde sem que houvesse intervenção na cultura e nos costumes dos indígenas. Foram ouvidas todas as partes envolvidas. Na ocasião, o Juiz do Trabalho Raimundo Paulino Cavalcante Filho, que conduziu a reunião, explicou que após a audiência pública seria realizado novo encontro entre as partes em audiência judicial.

No último dia 30 de abril, o referido acordo foi firmado, estendendo as obrigações de adoção das medidas pela União Federal não só para o Estado de Roraima, alvo prioritário da ação, mas também para o Amazonas.

Fonte: MPT-AM

''O Poder Judiciário e a Consolidação da Democracia: O Papel da Justiça na Sociedade Contemporânea'' é o tema do XXl Congresso de Magistrados que será realizado pela Associação dos Magistrados Brasileiros - AMB no Rio Quente Resorts, no Estado de Goiás, entre os dias 29 e 31 de outubro de 2015. O congresso pretende promover uma ampla discussão sobre temas que envolvem a Justiça e seu papel na vida dos cidadãos.


O evento contará com palestras com palestras, painéis e mesas-redondas que vão abordar, entre outras questões, a democratização do sistema de Justiça; ações coletivas e o excesso de litigância no Brasil; direitos humanos; valorização da magistratura; formas alternativas de solução de conflitos; desafios para o Judiciário na sociedade contemporânea; o novo Código de Processo Civil (CPC); processo penal e sistema penitenciário; a percepção da sociedade sobre a Justiça; e experiências na aposentadoria da magistratura.


Confira mais informações no site do evento

A Escola de Administração Fazendária (ESAF) abriu as inscrições para o X Prêmio SEAE 2015, concurso de monografias que visa estimular estudos e pesquisas acerca dos temas subjacentes à Defesa da Concorrência e à Regulação da Atividade Econômica. As inscrições vão até 8 de setembro.


O prêmio é uma iniciativa da Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, tendo a Fundação Getulio Vargas como patrocinadora e a ESAF como responsável por sua realização. Poderão concorrer trabalhos individuais ou coletivos, de candidatos de qualquer nacionalidade e formação acadêmica (graduação ou pós-graduação). O regulamento e mais informações encontram-se disponíveis no site da ESAF.

Temas:
1. Defesa da Concorrência
2. Regulação da Atividade Econômica


Premiação:
R$ 20.000,00 - 1º colocado em cada tema
R$ 10.000,00 - 2º colocado em cada tema
R$ 5.000,00 - 3º colocado em cada tema
Certificado de vencedor
Publicação da monografia

46

Entre outras questões, o ministro falou sobre o contingenciamento do orçamento, os dez anos do CSJT, a Ouvidoria Geral do Conselho e sobre a descentralização de recursos para o Programa Trabalho Seguro

O Presidente do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ministro Antonio José de Barros Levenhagen, realizou o pronunciamento de abertura da 4ª Reunião Ordinária do Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor), nessa quarta-feira (27), em Brasília-DF. O encontro segue até esta quinta-feira, 28 de maio. Estão participando do evento os desembargadores Lairto José Veloso, vice-presidente e representando a Presidência; e Ormy da Conceição Dias Bentes, corregedora regional.

O presidente do TST convidou os presentes para participarem das comemorações dos dez anos de instalação do CSJT; abordou a instituição da Ouvidoria Geral do Conselho; comentou a realização do Seminário sobre Saúde e Segurança do Trabalho e a publicação da lista dos dez maiores litigantes em cada Corte Regional. O presidente ainda revelou a descentralização de recursos para o desenvolvimento do Programa Trabalho Seguro e explicou o contingenciamento no orçamento da Justiça Trabalhista para 2015, junto com os esforços do CSJT para amenizar o efeito dessa redução orçamentária sobre os Tribunais Regionais do Trabalho.

Em 25 de junho, ocorrerá a Sessão Comemorativa dos dez anos de instalação do CSJT,no 5º andar do bloco A do TST. Serão inaugurados, na ocasião, o painel histórico temporal, a Galeria de Presidentes do Conselho e a Exposição Memória Viva. O evento também vai contar com o lançamento da Edição Comemorativa do Regimento Interno, do Libreto dos dez anos do Conselho, do selo comemorativo e do vídeo institucional. Barros Levenhagen disse que ainda haverá “uma homenagem àquelas personalidades que contribuíram para a consolidação do CSJT”.

49

                                       Vice-presidente do Regional, desembargador Lairto José Veloso e a Corregedora, desembargadora Ormy da Conceição Dias Bentes,                                            participam da  4ª Reunião Ordinária do Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho.

 

Ouvidoria. A Ouvidoria Geral do Conselho Superior da Justiça do Trabalho foi instituída pelo Ato CSJT nº 102 de 7 de maio de 2015. Além de receber solicitações, críticas, elogios e sugestões dos cidadãos para o aprimoramento das atividades do CSJT, a unidadepromoverá a integração das Ouvidorias da Justiça do Trabalho e definirá, de forma participativa, parâmetros para as ações delas. “Dessa forma, pretende-se estimular a permuta de informações necessárias ao atendimento dos usuários e propiciar maior transparência e celeridade no atendimento das demandas”, afirmou o presidente.

O Conselho realizou o Seminário sobre Saúde e Segurança do Trabalho em 18 e 19 de maio. Voltado para servidores dos TRTs, o evento abordou os detalhes da Resolução CSJT nº 141, de 26 de setembro de 2014, a qual dispõe sobre as diretrizes para a realização de ações de promoção da saúde ocupacional e de prevenção de riscos e doenças relacionados ao trabalho no âmbito da Justiça do Trabalho de 1º e 2º graus.O seminário também serviu para o lançamento e a explicação do Manual de Orientações da Resolução CSJT nº 141, o qual trata, entre outras questões, dos Programas de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e de Controle Médico e Saúde Ocupacional (PCMSO).

O ministro agradeceu aos presidentes a liberação dos servidores para participarem do seminário e solicitou que esse tipo de autorização ocorra em outras ocasiões, porque “os eventos do CSJT são fundamentais para a construção, a qualificação e o nivelamento administrativo de todo o Judiciário do Trabalho”, afirmou.

Maiores litigantes. O CSJT publicou em seu site lista com os dez maiores litigantes de cada Tribunal Regional do Trabalho. Essa divulgação está relacionada à Meta 10 do Plano Estratégico da Justiça do Trabalho (2015-2020), que consiste em identificar e reduzir em 10% o acervo dos dez maiores litigantes em relação a 2014. “O objetivo é diminuir o quantitativo de processos acumulados das pessoas jurídicas ou físicas que detêm a maior concentração nos acervos das Cortes Regionais”, disse o ministro.

Barros Levenhagen considera que o estímulo à realização dessa meta também envolve a divulgação de bons exemplos. Nesse sentido, o presidente citou a nova política recursal da Caixa Econômica Federal, a qual sugere a apresentação de recursos somente nos processos em que haja tese ainda não pacificada ou naqueles em que a tese lhe seja favorável. Outro exemplo abordado foi o do Banco Santander Brasil, o qual tem reforçadoas tentativas de conciliação na solução de litígios que o envolvem.

Com relação ao Programa Trabalho Seguro, o ministro comunicou aos integrantes do Coleprecor que procedeu à descentralização de R$ 2 milhões para os TRTs, com a finalidade de atender as ações nacionais voltadas à prevenção de acidentes de trabalho.

Contingenciamento.Diante do contingenciamento de R$ 135 milhões do orçamento de 2015 destinado ao Judiciário do Trabalho, o presidente disse que determinou a utilização de R$ 60 milhões dos recursos alocados para ações gerenciadas pelo CSJT, com o objetivo de viabilizar a implementação das medidas orçamentárias restritivas, sem comprometer o cumprimento das obrigações não discricionárias já contratadas pelos TRTs e Varas do Trabalho.

Essa restrição no Conselho afeta “metade dos valores consignados ao Projeto Nacional de Modernização da Justiça do Trabalho, parte significativa do Projeto Nacional de Implantação de Varas e o restante sobre o Projeto de Implantação do PJe-JT, o que não inviabilizará, de forma alguma, a continuidade planejada dessas ações”, afirmou o ministro. “Determinei também o contingenciamento de algumas obras em curso e, para tanto, priorizei a continuidade daquelas com avançado estágio de execuçãoque não apresentavam saldos de restos a pagar elevados para o presente exercício”, concluiu.

O presidente disse que o detalhamento dos pontos contingenciados vai ser encaminhado a todos os Tribunais Regionais do Trabalho na próxima semana, de 1º a 5 de junho. “As áreas técnicas do Conselho seguem acompanhando minuciosamente a evolução do orçamento de 2015, para que, mesmo em face de cenário tão restritivo, possamos alcançar a melhor execução dos recursos que se encontram sob nossa responsabilidade”, afirmou Barro Levenhagen.

Indicação de novo Conselheiro. Durante a 4ª Reunião Ordinária, os integrantes do Coleprecor indicaram a Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (RJ), Desembargadora Maria das Graças Cabral Viegas Paranhos, para ser a nova Conselheira representante da Região Sudeste no CSJT. Ela sucederá à Desembargadora aposentada Maria Doralice Novaes, do TRT da 2ª Região, o qual tem sede em São Paulo-SP.

De acordo com o Regimento Interno do Conselho, a nomeação de Maria das Graças Paranhos vai ser realizada pelo Presidente do CSJT, Ministro Antonio José de Barros Levenhagen.

Fonte: CSJT

45''O novo CPC e os impactos no processo do trabalho'' foi o tema da última palestra da lll Jornada Institucional dos Magistrados do Tribunal Regional do Trabalho da 11a Região (Jomatra). A apresentação ocorreu na tarde desta quarta-feira, 27 de maio, no auditório do Fórum Trabalhista de Manaus e foi proferida pelo desembargador aposentado de Minas Gerais, Elpídio Donizetti.


O diretor da Escola Judicial do TRT da 11a Região (Ejud11), desembargador David Alves de Mello Júnior, deu início a atividade apresentando o tema que seria abordado e agradecendo aos presentes e ao magistrado convidado pela presença. A desembargadora Francisca Rita Alencar Albuquerque foi a debatedora da palestra.


Professor universitário e desembargador aposentado da Justiça do Estado de Minas Gerais, o palestrante participou da comissão de juristas nomeada pelo Senado Federal para a elaboração do anteprojeto do Novo CPC. Ele iniciou sua palestra agradecendo a oportunidade de estar em Manaus e pela honra de ser convidado a palestrar aos magistrados do TRT11 e esclareceu sobre as aplicações do novo CPC na Justiça do Trabalho.


Abordando o assunto por artigos do CPC, o magistrado ressaltou as racionalidades das ideias do novo código, bem como pelas aplicações da justiça, tais como: normas processuais; sistema de solução, direito material; ordem cronológica dos processos, tudo se adaptando as novas regras, sistemas e processos. E que pelo aprimoramento do novo CPC a justiça tenha mais agilidade, privilegiando as soluções de conflitos sem que prejudique a efetividade na tutela jurisdicional.


Encerrando a lll Jornada dos Magistrados, o diretor da Escola Judicial do Regional, desembargador David Alves de Mello Júnior, encerrou o evento, declamando um poema de sua autoria, e agradeceu aos magistrados do Regional que compareceram, destacando a importância de um evento como esse para o enriquecimento de conhecimentos e para uma melhor atividade jurisdicional. O magistrado, ainda, entregou certificados às desembargadoras: Maria das Graças Alecrim Marinho, presidente do Egrégio, por agradecimento pelo apoio da realização da jornada deste ano; a desembargadora Solange Maria Santiago Morais, pela magistrada ter sido a primeira diretora da Escola Judicial do Regional; e a desembargadora Francisca Rita Alencar Albuquerque por ter efetivado a jornada no Regional. O encerramento contou com uma apresentação do cantor Cileno.


A Jomatra faz parte do programa de formação e aperfeiçoamento contínuo dos magistrados, visando a melhoria na prestação dos serviços jurisdicionais, prevista na Emenda Constitucional nº 45.


Confira a galeria de imagens.